A responsabilidade social como vantagem competitiva das marcas

Essa nova postura exige das marcas: empenho, inovação e acima de tudo mudanças de comportamento e de processos

01 · 10 · 2019

A crescente utilização dos recursos naturais estão a gerar impactos avassaladores no âmbito social e ambiental, ao mesmo tempo que as mudanças económicas resultam no aumento de consumidores mais exigentes e conscientes em relação à qualidade de vida, saúde, meio ambiente e questões sociais.  

Desde o impacto das redes sociais ao fortalecimento dos órgãos de defesa do consumidor, os clientes passaram a ter maior poder para disseminar uma imagem positiva ou negativa de uma marca. Os consumidores estão cada vez mais atentos no momento de compras, levando em consideração aspetos que ligam as suas necessidades com as da sociedade. Por essas razões,  há cada vez mais marcas a investir em ações de responsabilidade social, a sairem da sua zona de conforto e a mudar o modelo de gestão, de modo a criar um novo paradigma de fazer negócio, mais responsável e com maior compromisso com a ação empresarial na sociedade. 

Fomos à procura de boas práticas de responsabilidade social e temos bons exemplos.

Continente lança sacos para lixo feitos de plástico recolhido em loja

sacos_lixo_conjunto_0

O Continente lançou este ano novos sacos reciclados que incorporam plástico proveniente das operações das lojas e entrepostos da marca, o que permitirá uma poupança de 740 toneladas de plástico virgem anual. São sacos para lixo ecológicos que já representam cerca de 50% das vendas da marca Continente nesta categoria.

São disponibilizados ao consumidor cinco capacidades diferentes, que vão desde os 20L aos 150L. Os chamados sacos Continente ECO, totalmente reciclados, foram submetidos a rigorosos testes de qualidade, mantendo-se o preço de venda ao público (entre 1,29€ e 2,99€)”, explica a insígnia numa nota enviada às redações.

Esta medida reflete o alinhamento da marca com os objetivos da Aliança Circular para os Plásticos que quer alcançar um maior número de plásticos reciclados na Europa, um passo para a meta da União Europeia que pretende obter 10 milhões de toneladas de plásticos reciclados utilizados em produtos, até 2025. Este movimento está completamente alinhado com a missão da marca, sob o ’Compromisso para Uso Responsável do Plástico’ divulgado no início do ano.

IKEA lança coleção criada com artesãos da Índia, Tailândia e Jordânia

Em parceria com artesão de cinco organizações de empreendedorismo social da Índia, Tailândia e Jordânia, o IKEA lançou recentemente uma nova coleção limitada chamada HANTVERK, que significa artesanato em sueco.

A colaboração da IKEA com as organizações Doi Tung (Tailândia), Industree (India) e Jordan River Foundation (Jordânia) resultou numa coleção que conta a história de milhares de mulheres e famílias que encontraram nesta parceria uma situação económica melhor e mais segura. Esta coleção chega às lojas IKEA em Portugal a 1 de outubro de 2019 e alia a habilidade dos artesãos ao design escandinavo, num conjunto de 15 peças únicas, como capas de almofada, mantas, cestas, tigelas e vasos, produzidas à base de materiais naturais e sustentáveis como a fibra de banana, papel artesanal, cerâmica e algodão.


Staples doa material escolar a 1500 crianças

A Staples uniu-se com a Entrejuda para oferecer material escolar a 1500 crianças do 1º ciclo de escolaridade em situação de vulnerabilidade social. Durante os meses de agosto e setembro deste ano decorreu nas lojas da Staples uma campanha que permitiu angariar 15 mil euros para oferecer um total de 1500 kits de material escolar, compostos por mochila, estojo, cadernos, dossier, esferográficas, lápis de carvão, afia-lápis, borrachas, régua, lápis de cera, lápis de cor, canetas de feltro, cola e tesoura.

Este projeto de responsabilidade social da Staples vai já na sua sexta edição e já angariou um total de 134 mil euros que permitiram apoiar 12 600 crianças.

Lidl promove campanha contra o abandono de animais

shutterstock_1034939470

Durante o verão, o Lidl Portugal aproveitou para lançar mais uma campanha de sensibilização contra o abandono de animais. Com a assinatura ‘Abandono não tem graça’, a campanha terminou no dia 4 de outubro, Dia do Animal, com a entrega de donativos de ração das marcas Orlando e Coshida a instituições de apoio animal.

Em parceria com a agência Fullsix, a campanha pretende lembrar que o abandono de animais “não tem graça nenhuma” e que ocorre com maior frequência nos períodos de férias, estimando-se que em 2018 tinha havido um aumento entre os 10% e os 20% face a 2017, de acordo com dados da Liga Portuguesa dos Direitos do Animal.

A campanha do Lidl Portugal desafiou os portugueses a transformarem os seus cães e gatos em embaixadores desta causa, com o envio de vídeos dos seus animais. Em troca receberam um vídeo personalizado com a frase ‘O Campeão tem graça, o abandono não’, que pode ser partilhado nas redes sociais. Por cada submissão de vídeo, o Lidl doou um prato de ração Orlando ou Coshida a uma das oito associações de proteção animal escolhidas pelos colaboradores do Lidl.

Zippy desafia portugueses a refletir sobre os valores da tolerância e do respeito

Este ano, a Zippy enviou uma carta aberta ao Ministério da Educação, escolas, pais e filhos com o objetivo de promover a inclusão. A marca desafiou as crianças portuguesas a refletirem sobre o significado da palavra inclusão e sobre os valores da tolerância e do respeito com o objetivo de contribuir para a consciencialização das novas gerações.

Na carta aberta, a Zippy pediu que a reflexão sobre a palavra inclusão seja um exercício de partilha e troca de ideias, podendo a mesma ser materializada numa expressão concreta, como um desenho, uma colagem, um vídeo, uma música ou qualquer outro formato, desafiando as crianças a divulgarem o seu trabalho, nomeadamente online, utilizando a hashtag #leanonme.

Este desafio surgiu no seguimento da campanha global da Zippy, que juntou 49 crianças de várias partes do mundo e que tem por base a letra da música ‘Lean on Me’, de Bill Withers.

Inditex apresenta nova estratégia de Sustentabilidade

shutterstock_13012131011

A Inditex, dona de marcas como a Zara, a Bershka, a Stradivarius e a Pull & Bear, comprometeu-se a reforçar atitudes responsáveis em áreas como design, produção, logística, retalho e materiais, na apresentação dos seus ovos objetivos de Sustentabilidade. Uma das metas estabelecidas é produzir apenas com materiais sustentáveis, biológicos ou recicláveis até 2025. Atualmente, essa percentagem não ultrapassa os 20%.

O objetivo é expandir até 2020 o seu modelo de loja ecoeficiente a todas as suas marcas e pretende que todo o seu vestuário passe a envergar o selo ‘Join Life’, uma coleção que se distingue por utilizar apenas materiais sustentáveis.

Além disso, todos os designers da companhia passarão a ter formação em economia circular e os sacos de plástico serão, oficialmente, eliminados de todas as marcas do grupo, com a empresa a prever atingir a meta de desperdício zero já em 2023.

A Inditex espera, ainda, conseguir, até 2025, usar polyester 100% reciclado, linho 100% sustentável ou biológico e algodão biológico ou reciclado, e criou um comité especial de administradores que terão como missão monitorizar o cumprimento dos objetivos de sustentabilidade.