Responsabilidade social: como criar uma estratégia?

Credibilidade e boa reputação são alguns dos principais ganhos das empresas que realizam esse trabalho

10 · 09 · 2019

O atual nível de competitividade do ambiente empresarial exige novas estratégias para que as empresas consigam manter-se no mercado. De forma a unir os interesses da sociedade com os das empresas surge a responsabilidade social corporativa, no qual os interesses da organização ficam preservados e são gerados inúmeros benefícios à sociedade. Com isto, ganha a empresa e ganha a comunidade.

A responsabilidade social empresarial apresenta-se assim cada vez mais como uma vantagem competitiva, induzindo ao desenvolvimento de novas estratégias de negócio. Questões como qualidade, flexibilidade, segurança e comodidade, já não são suficientes. O consumidor considera esses fatores como básicos e procura novos atributos.
Devido ao papel estratégico que ocupam na sociedade, as empresas carregam consigo um grande poder de interferência no ambiente externo à sua estrutura física. As suas decisões podem afetar não apenas os seus colaboradores, mas também toda a sociedade na qual está inserida. Por este motivo, as suas ações devem ser pensadas também por uma ótica social e ambiental, procurando um crescimento económico sustentado na dignidade humana e reconhecendo o seu papel como importante agente na transformação social.

Uma organização que procure esse crescimento "economicamente correto", que se preocupa com a comunidade assumindo a consequência dos seus impactos, transforma grande parte dos lucros em ganho social.

A responsabilidade social corporativa é uma forma de conduzir os negócios que torna a empresa numa peça importante no desenvolvimento social. Trata-se de criar uma harmonia entre as necessidades da comunidade e da empresa, através do planeamento de práticas coerentes com ética pública, na qual ficam preservados os interesses da organização, sem comprometer as ações que contribuam para o bem-estar e o desenvolvimento da sociedade como um todo.

Ao permitir que a sua empresa utilize os seus recursos naturais, empregue mão de obra e comercialize produtos e serviços, a sociedade espera obter algum retorno. Cabe à organização aproveitar ao máximo as oportunidades oferecidas e garantir uma troca justa que beneficie ambas as partes.

Investir em responsabilidade social significa investir em imagem, que é um importante fator de vantagem competitiva. Permite não apenas a aquisição de novos consumidores, mas possibilita também à organização agregar maior valor aos produtos e serviços. A sociedade aceita desta forma pagar um pouco mais e cobra investimentos em ações sociais.

No entanto, a responsabilidade social deve partir de uma consciência sincera da empresa, deve representar um valor da sua cultura organizacional. Caso contrário, não terá o efeito esperado. O consumidor sabe e, essencialmente, valoriza a diferença entre empresas que são socialmente responsáveis e outras que não têm essa preocupação.
O desenvolvimento deste tipo de empresa, capaz de conseguir um crescimento económico sustentado na preocupação social, é uma realidade cada vez mais exigida pela sociedade.

Passos para implementar a estratégia da responsabilidade social numa organização

shutterstock_371784445

Apesar da corrida incessante pelo domínio do mercado, a organização empresarial não pode deixar de lado os valores éticos e o respeito pelos consumidores.

Dessa forma, a gestão estratégica nas organizações muda constantemente e é nesse contexto que se insere a responsabilidade social, que no seu conceito mais amplo consiste no estabelecimento de uma relação ética e transparente da empresa com os públicos com os quais se relaciona.
Porém, as empresas menores ainda têm dificuldade em identificar as ações que melhor se encaixam na sua capacidade financeira.

Posto isto, apresentamos 5 dicas do que podem fazer a diferença mesmo tendo uma empresa pequena:

1. Promover a preocupação ambiental

A responsabilidade ambiental é uma das vertentes da responsabilidade social que pode ser aplicada em empresas de todos os tamanhos.

Algumas ações ambientais podem gerar custos elevados de implantação, como obras para a troca de torneiras para as automáticas, construção de claraboias para melhorar o aproveitamento da luz natural e até mesmo instalação de placas solares para captação de energia.

Se a sua empresa não tem capital para investir nestas grandes obras de adaptação, algumas atitudes simples podem fazer muita diferença para o meio ambiente:

• Elimine o uso de copos descartáveis nos bebedouros, de forma a incentivar cada funcionário a ter a sua caneca ou garrafinha;

• Elimine a obrigatoriedade de impressões que não sejam legalmente necessárias;

• Reutilize folhas de rascunho;

• Incentive o consumo consciente da água;

• Troque as lâmpadas pelas mais económicas e evite acendê-las desnecessariamente;

• Faça a separação do lixo reciclável.

2. Atividades dedicadas à comunidade

As atividades recreativas são excelentes formas de levar benefícios à comunidade na qual a empresa está inserida. Uma boa estratégia é aproveitar as datas especiais para realizar esse tipo de ações.

Outros tipos de atuações bastante comuns são aquelas que promovem a saúde e a cidadania, tais como os serviços de medicina no trabalho, nos quais fazem a medição da pressão arterial e exames preliminares à visão e de glicose, serviços de beleza e muitos outros.

Parcerias podem ser feitas com outras empresas da região para a diminuição dos custos destas ações.

3. Criação de um cantinho de leitura

Montar um local específico de leitura para os funcionários pode trazer inúmeras vantagens tanto para a empresa, quanto para os próprios funcionários.
O incentivo à leitura é uma ação que promove o crescimento intelectual dos colaboradores e, por consequência, da empresa como um todo.

Para implementar um espaço de leitura é necessário que este seja bem iluminado e onde seja possível colocar os materiais de leitura, assim como mesas e cadeiras para as pessoas ficarem confortáveis. O ideal é que seja um lugar calmo, sem muito ruído.

Para recolher os materiais, a empresa pode promover uma campanha de doação de livros, revistas e jornais.
Para incentivar o hábito de leitura, pode também oferecer incentivos simples, como um destaque na newsletter da empresa como o leitor do mês ou trocar horas de leitura por horas de folga.

4. Ajudar instituições sociais

As instituições sociais precisam sempre de alguma ajuda, que pode não ser necessariamente financeira. Uma instituição social que atende crianças em situação de vulnerabilidade, por exemplo, pode necessitar de roupas e brinquedos, principalmente em épocas como a Páscoa, o Dia das Crianças e o Natal.

A empresa pode lançar uma campanha de doação aos seus funcionários e até mesmo à comunidade em geral, para arrecadar as doações e realizar a entrega numa instituição social responsável.

5. Promover visitas sociais

Os lares, orfanatos e canis são exemplos de lugares onde uma visita pode fazer tão bem quanto uma doação. Passar uma tarde a brincar com uma criança, passear com um cão ou a conversar com um idoso pode ser bom não só para quem está a ser visitado, como também para quem está a fazer a visita. A empresa pode organizar grupos de visitas periódicas às instituições e levar funcionários e outras pessoas da comunidade para participarem.

É possível melhorar o meio ambiente e a sociedade, independentemente do tamanho da empresa. Como vimos neste artigo, não e difícil realizar ações de responsabilidade social mesmo com um orçamento limitado.

 

>> Leia também o artigo Responsabilidade Social: 7 razões para a sua empresa adotar >>